segunda-feira, 1 de junho de 2009

Hebrewismo da Africa

É fato historico comprovado por muitos que a maioria dos escravos que foram transportados para as Américas  (SUL, CENTRAL E NORTE) vieram da Africa Ocidental, sendo que uma minoria veio da Africa Oriental.

Nossos antepassados entre os povos tribais da Africa ocidental tinham muitos costumes hebraicos. OS KAFIR, BO, GREBO, MARIBUCK, MAVUMBA, AKRA, FANTI, AKIN, YORUBA, KONGO E ASHANTI, isso sem mençionarmos as várias tribos que habitavam o Sub-Sahara.

Alguns desses rituais incluem:

  • CIRCUMCISÃO 
  • DIVISÃO DA TRIBO EM DOZE, 
  • ASPERSÃO DO SANGUE NOS UMBRAIS DAS PORTAS
  • CASAR-SE COM A MULHER DO IRMÃO APÓS A MORTE DO IRMÃO.
  • SEPARAÇÃO E PURIFICAÇÃO APÓS O NASCIMENTO DE FILHOS.
  • RITOS DE PURIFICAÇÃO DURANTE O NASCIMENTO
  • RITOS DE PURIFICAÇÕES DURANTE A MENSTRUAÇÃO
  • CELEBRAÇÕES DE LUAS NOVAS
  • E MUITO MAIS... (Sacerdote Ashanti)
Entre as tribos ASHANTI, o sacerdócio era hereditário a determinadas familias que tinham pouca ou nenhuma possessão, essas familias eram isentas de todos os impostos, supridas com alimentos e tomavam parte no aconselhamento real . Comparando esses costumes com os dos sacerdotes Levitas do antigo Israel você verá que ambos tinham exatamente os mesmos costumes.
O nome ASHANTI é de origem hebraico, o "Ti" no final significa povo ou raça de... ASHAN era o nome de uma cidade localizada na Judéia no sul de Israel. (Josué 15:42 e 19:7 , 1.cronicas 4:32 e 6:59)

A palavra ASHAN no hebraico significa cidade em chamas ou em brandos. ASHANTI significa o povo de ASHAN ou o povo da cidade em chamas.

Em um livro muito informativo entitulado : HEBREWISMO NA AFRICA OCIDENTAL (HEBREWISM OF WEST AFRICA) escrito por: Joseph J.William, ele nos dá as descrições detalhadas dos costumes hebraicos em muitas das tribos da Africa Ocidental ou seja, as tribos principais que supriam escravos durante o tráfico negreiro de onde descendem a maioria dos hebreus que vivem atualmente no hemisfério ocidental.

Citarei apenas alguns exemplos extraídos de seu livro e isso talvez o convencerá quem são os verdadeiros filhos de Israel.

NOTA: Devo notificar que este livro foi escrito no ano de 1930 e o autor que era de origem européia cita o nome de alguns autores "racistas" do ano de 1700. Ele também faz alguns comentários erroneos, quando ele tenta descobrir o quanto da cultura hebraica e estilo de vida existe na africa ocidental. Ele teria a resposta correta para as suas pesquisas caso ele tivesse conhecimento sobre as profecias biblicas, mas fora esssas exceções, esse autor nos transmite uma série de informações interessantes em seu livro "Hebrewismo na Africa Ocidental".

Página 22: Em primeiro lugar, muito dos costumes dos hebreus foram descobertos nas tribos dos ASHANTI e também em muitas das palavras ASHANTI foram encontradas enormes semelhanças com as equivalentes em hebraico. Finalmente o Ser Supremo dos ASHANTI dá uma forte indicação de ser o mesmo (YAH) do "antigo testamento".

Página 23:É também surpreendente quanto HEBREWISMO real ou apenas aparente foram encontrados entre as tribos não mulçumanas.

Página 52: Em ambas as palavras ASHANTI e no hebraico o som das vogais tradicionais é de igual importância para dar verdadeiro sentido as palavras.

Página 56: Mesmo na cojugação dos verbos os ASHANTI prefixam os pronomes pessoais aos verbos, o mesmo também encontramos no imperfeito hebraico.

Página 61: É dificil enumerarmos todos os costumes e práticas que fazem conexão entre os antigos hebreus e os ASHANTI. Por exemplo: Os ASHANTI praticam a lei Mosaica do casamento intra-tribal, que foi descrita expressamente para preservar a herança das filhas na tribo e na familia por parte dos pais. (Números 36:12) encontramos também uma série de semelhanças entre as tribos ASHANTI nos dias atuais. Também o casamento entre primos, caracteristico dos últimos, são extritamente semelhantes aqueles das filhas de Zelofeade que se casaram com os filhos de seu tio , parte paterna (números 36:2) Novamente a preservação de certos nomes na familia é muito comum entre os ASHANTI assim como era comum entre os hebreus, como nos é mostrado no caso de João Baptista (Yahuchanon) quando foi feita a objeção de que.... "não existe nenhum parente que é chamado por este nome...."(Lucas 1:61).

Página 62: Assim também como a simplicidade da cerimonia do casamento entre os ASHANTI e a parte distinctiva que o vinho representa nas cerimonias, nos faz lembrar os antigos israelitas.

Página 63: Não somente na cerimonia própria do casamento, mas também após, existe uma forte semelhança entre os ASHANTI e os hebreus. Como por exemplo: por um periodo de 8 dias após o nascimento da criança, "a mãe ASHANTI é considerada impura". E somente ao oitavo dia na Ntetea que a criança recebe o seu nome próprio, e quando completo 40 dias outra cerimonia tem de ser observada. Em tudo isso nos traz a lembrança os costumes dos hebreus. Mais adiante também temos a mulher ASHANTI em seu periodo menstrual e sua retirada para a (bara) cabana. Quando observamos isto até parece que estamos lendo uma página copiada do livro de Levitico (15:19-20). E também o sistema dos ASHANTI para prevenção (impurezas) nos traz a mente constantemente as práticas similares comums entre os hebreus.

Página 66: De uma certa maneira há alguns elementos culturais entre os ASHANTi e os antigos hebreus, assim como a prática do OB culto, as danças religiosas, o uso do "ameim", valores das vogais, sistema patriarcal, simbolismos paralelos de autoridade em "banquentas" e "tronos", endogamia, casamentos entre primos, nomes familiares, exogamia, simplicidade nos rituais do casamento e a representação que o vinho tem nas cerimonias, purificações após o nascimento dos filhos, seclusões menstruais e abluções cerimoniais e palavras aparentemente herdadas de origem hebraica.

Página 70: Eles ascrevem a YAH os atributos de Onipresente, Onisciente e invisibilidade, entre a crença deles está a que Ele governa todas as coisas por providência. E por Ele ser invisivél dizem que é impossivél fazermos uma representação Dele. Do outro lado eles tem multidões de imagens de seus deuses-idolos que eles alegam que são subalternos ao supremo YAH.

Página 72: Pelo fato dos hebreus terem despeitado o culto a YAH, eles cairam em várias formas de idolatria. Captain Rattay, fez um paralelismo entre os ASHANTI aonde Bosnam notou que eles creem em um Ser Supremo rodeado por inumeros deuses-idolos.

Página 78: Existe um provérbio muito comum entre os ASHANTI que diz: Nenhum saacerdote olhará a face de seu deus e viverá, isto soa como se fosse um eco da advertência que YAH fêz a Moisés no Monte Sinai " Você não poderá ver minha face, porque ninguém há que me veja e viva".

Página 80: O Ser supremo dos ASHANTI é identico a YAH e mais adiante veremos com mais detalhes que o culto de adoração que era feito entre as tribos tem grande semelhança com a que as tribos existentes em Jerusalém faziam antes do exilio babilonico.

Página 82: O peitoral da figura principal o arauto(Osene) que é chamado por Stanley de o sentinela da cidade, é extritamente similar ao peitoral do sumo sacerdote entre os antigos hebreus, com as divisões em doze partes. A cobertura para a cabeça (turbante) do arauto e também o disco de ouro na fronte sastifazem as descrições do miznefat de acordo com a enciclopédia judaica. Uma tiara ou talvez um turbante na fronte aonde tinha uma inscrição em ouro que diz:
"Santo(separado)para YAH". 
A divisão do peitoral em doze partes assim também como a tiara na cabeça com o disco de ouro na fronte são distintivos do hebrewismo.

Página 83: Desta forma o mito ASHANTI manifesta estágios graduais da presença de YAH entre os hebreus como p.ex. a saça ardente, o Sinai e a Aliança, que estabeleceu a nação do povo escolhido de YAH.

Tudo isto é apenas algumas das várias comparações feitas por Josef Williams em apenas UMA das várias tribos existentes de onde nós (do hemisfério ocidental) descendemos. Seria um longo processo se fossermos incluir todas as tribos da Africa ocidental que tem cultura hebraica.

Atualmente toda a Africa foi aglomerada em uma, significando que "todas as pessoas de pele preta" são da mesma cultura, costumes etc..." E como consequência disso todo esse hebrewismo passou de uma forma geral despercebido da humanidade. 
A maioria dos costumes que nos são transmitidos como sendo" tradicionais" da cultura africana são na maioria traços culturais que podem ser encontrados exatamente nos primeiros cinco livros da biblia.
Na narração do escravo Olaudah Equiano, ele nos mostra o paralelismo entre seus costumes nativos e os costumes hebraicos encontrados na biblia. Ele disse:

"Assim como os israelitas em seu estado primitivo, nosso governo também era conduzido pelos nossos chefes ou juízes, sábios e ou anciões; e o cabeça de nossas familias conferia uma autoridade sobre seus familiares similar como aquela descrita a Abraão e aos outros patriarcas. A lei da retaliação prevaleceu quase que universalmente entre nós, tanto quanto com eles e mesmo a crença deles parece que deixou sobre nós um rastro de estima, embora apenas partes e em algumas passagens, ou eclipse pela nuvem através da qual o tempo, tradição e ignorância devam ter desenvolvido, porque praticavamos a circumcisão (um ritual, creio que era muito peculiar a aquele povo) tinhamos também nossos sacrificios e as ofertas queimadas, nossas purificações e lavagens, nas mesmas ocasiões que eles."
"Finalmente vim parar numa terra, na qual os habitantes diferem muito de nós em todos esses particulares. Ficava muito impressionado com essas diferenças, especialmente quando encontrava-me com pessoas que não praticavam a circumcisão, E QUE COMIAM SEM LAVAR AS MÃOS". 

 Mateus 15:1-2 
"Então vieram de Jerusalém (Yahrushalom) a Yahoshua alguns fariseus e escribas e perguntaram: "Porque transgridem os teus discipulos a tradição dos anciãos, POIS NÃO LAVAM AS MÃOS QUANDO COMEM ??

Em um artigo escrito por William Levi Ochan Ajjugo que e membro da tribo dos MADI no Sudão, Ele nos conta dos costumes hebreus entre a sua e outras tribos do Sudão.

Quando as pessoas pensam em judaismo na Africa negra, eles imaginam os chamados "Falashas", Beit Israel, judeus ethiopes que tem mantido o essencial do judaismo biblico apesar de terem sido isolados geograficamente de outros judeus por milhares de anos.

Os falashas são na verdade o tipo da ponta do iceberg, Judaismo veio para a Africa muito antes do islamismo ou mesmo do cristianismo. Hebreus tem estado na Africa milhares de anos antes do Exodo do Egito.
Tamanha era a influência do antigo judaismo no norte e no oriente da Africa que antropologistas decidiram usar de um metodo para testar qual das tribos ou povos tinham raízes hebraicas; o teste era feito assim: Se os machos eram circumcisados a partir da idade de 1 ano ou anteriormente.

"Sou do Sul do Sudão, a mais larga porção cristã africana do Sudão, que tem sido dominada há muito tempo pelos mulçumanos arabes do norte, em Khartum. Sou da triba chamada MADI e embora não retenhamos judaismo assim como fazem as tribos dos falashas, nossos vizinhos da Etiopia, fico admirado quando penso que no passado muito de nossos costumes parecem terem sidos herdados DIRETO das escrituras hebraicas.
A adoração ao único Criador entre os cristãos e não cristãos, sacrificios de sangue, expiação pelos nossos pecados assim como descritos no livro de Levitico. O "pior" dos pecados requeria sacrificios feitos com uma ovelha, cabra, abaixo deste o de um bode, e os pecados "menores" o de uma galinha. Um grupo hereditário de anciãos ou sacerdotes decidiam qual o animal a ser sacrificado e presidiam sobre essa e outras cerimonias.
As leis dietárias eram praticadas : alguns animais eram "impuros" não podiam servir de alimentos. Cerimoniais de lavar as mãos era requerido quando saíamos de casa. Alguns dias do ano eram separados *santificados*. Nesses dias, tudo era dedicado ao Altissimo que perdoa pecados.
Os MADI também usavam um chifre de carneiro (BILAH) para chamar o povo para diversas cerimonias, meu pai que era um ançião hereditário, tocava o bilah frequentemente para reunir o povo para cerimonias e discussão de temas importantes."
Após a morte de um homem, o irmão deste casava-se com a viúva. Encontramos isso em Levitico e também era imbutido na cultura dos MADI, assim como o costume do "resgatador" encontrado no livro de Rute em conexão ao casamento dela com Boaz. Rute 4:7. diz que: este era outrora o costume em Israel"... a redenção e a transferência da propriedade finalizava-se quando uma das partes tirava uma de suas sandálias e entregava ao outro. Isso é justamente o que os MADI faziam quando eu ainda era criança.

Deuteronomio 15:19 ordena que todos os filhos de Israel separem para YAH todos os primogenitos machos de seus rebanhos

Não era para ser usado em nenhum trabalho, ou no caso das ovelhas de serem tosquiadas. Mais uma vez este também era um dos costumes dos MADI.
Muitos desses costumes também são praticados por outras tribos do Sudão. Um dos costumes dos MADI era: todos os machos eram circumcisados - assim como eu fui - ao oitavo dia.

Quando ainda menino não sabia que nenhum desses costumes eram de origem "hebraica". Foi somente quando começei a estudar a biblia que a conexão ficou clara. 
A maioria das tribos pratica esses costumes sem ao menos saber o que significa "judaismo"; eles apenas sabem que essa era a maneira que seus antepassados praticavam.

Há muito que os missionários cristãos tem interpretado mal esses "costumes", especialmente missionários de denominações que desenfatizam o "antigo testamento". Muitos rotulam grupos como os MADi de "pagãos, animistas ou ainda inacreditavelmente de sem religião" ou crença.

Atualmente, os fundamentalistas islamicos que dominam o Sudão usam termos similares para descrever as tribos do sul do Sudão, incluindo os MADI. Assim como os missionários do passado, embora os islamistas (muçulmanos) tenham um conhecimento melhor de quem na verdade somos . Pra mais de uma vez fui chamado de "judeu" de uma maneira disparante por mulçumanos quando ainda vivia no Sudão.
A atual regime islamico no Sudão está recrutando uma JIHAD - guerra de exterminação- contra o povo e as tribos do sul do Sudão. Quase 3 milhões do meu povo foram chacinados em um genocidio que é pior que qualquer coisa que o mundo jamais tenha visto. Todos os que sabem deste assassinio não relatado veem isto apenas como uma guerra religiosa-mas esta é uma guerra dos imperialistas islamicos contra a maioria dos cristãos do sul do Sudão - É também uma guerra cultural dos dominadores arabes contra a cultura africana, ou parcelas da cultura africana. - no final desta parte da Africa - estão na verdade os remanescentes de Israel.

Para todos aqueles que querem ver a preservação desses remanescentes, esta é mais um motivo para se erguer em prol do corajoso povo do sul do Sudão!.
Esses irmãos e irmãs no sul do Sudão são israelitas. Esses hebreus ainda estão sendo levados cativos e forçados a escravidão no Sudão, eles estão sofrendo as maldições de Deut. 28

Em outro artigo por George E.Lichtblau entitulado "RAÌZES JUDAICAS NA AFRICA", ele nos dá detalhes dos hebreus na Africa Ocidental.

"Clamores da presença histórica nas comunidades judaicas em certas regiões da Africa, mais notaveis no Oeste e Sul da Africa, parecem até esotéricos quando mencionados pela primeira vez. Essa presença não existe apenas desde alguns séculos, mas podemos traça-las até os tempos biblicos.
Naturalmente , em duas dessas areas comunais do continente africano, permaneceu uma forte presença do conhecimento de parte da história e experiências judaicas. Na (africa do norte e Egito\Etiopia). A presença do judaismo no Egito e no antigo reino de Cuxe são descritas no livro de Exodo. E mesmo após o exodo do Egito e seu estabelecimento na terra de Israel, as tribos judaicas conservaram algumas caracteristicas nomadicas que são refletidas através da história.

Por exemplo: nos séculos 9 e 10 a.C. rei Davi e rei Salomão pensavam em expandir a influência judaica e manter comércio por todo o mediterraneo, incluindo o norte da Africa, Egito, a Peninsula arabe e o Corno da Africa, assim também como a Pérsia. Frequentes comércios deste tipo eram promovidos e colonizações eram arranjadas tendo a cooperação dos canaanitas e os vizinhos da região de Tyro. Esses reinos rendiam frequentemente apoio militares para o sucesso dessas colonizações, o que levou ao estabelecimento de vários hebreus artesãos e comerciantes por toda essas regiões.

Mas a subsequente dispersão e a influência dos hebreus os levou cada vez mais para o interior do continente africano a areas menos extensamente conhecidas.

Sob intensa pressão de conflito regionais, os hebreus acamparam como comerciantes e guerreiros em Yemen, no corno da Africa, Egito, no reino de Cuxe, Núbia, nos acampamentos Punicos do norte da Africa (Cartage e Velubilis) e areas que atualmente são cobertas pela Mauritania. 

Outras imigrações de hebreus seguiram após esses acampamentos para o norte da Africa, sucessivamente após a conquista dos israelitas pelos Assirios no séc. 8 a.C e novamente 200 anos mais tarde, quando Jerusalém foi conquistada pelos babilonios, levando a destruição do primeiro templo.

Esses eventos catastróficos não somente levou muitos hebreus ao exilio babilonico, mas também contribuiu para o estabelecimento de comunidades exiladas ao longo do Mediterraneo, incluindo o norte da Africa. Depois surgiu o dominio Persa sob os israelitas, seguindo o dos gregos e mais tarde o dominio e dependencia dos romanos, aonde ondas renovavéis de comerciantes e artesões hebreus começaram a estabelecer comunidades no Egito, Cirenaica, Núbia e no império Punico, notavél em Carthage, uma vez que eles começaram a se esmiuçar em várias novas comunidades emergidas no sul das montanhas Atlas. 

Diversos grupos nomadicos de hebreus também começaram a cruzar a fronteira do Sahara partindo de Núbia e do antigo reino de Cuxe.
A presença judaica (hebraica) na Africa começou a expandir significativamente a partir dos séc. 2 e 3 da era cristã, extendendo não somente para o deseto do Sahara, mas também alcançando a costa oeste da Africa, e possivelmente atigindo algumas tribos bantu do sul da Africa (aonde pra mais de 40.000 membros da tribo LEMBA alegam raízes hebraicas) 

O nome de antigas comunidades judaicas do sul das Montanhas Atlas, muitas das quais existiram até a epoca do renassentismo, podem ser encontrados nos arquivos de documentos da Sinagoga do Cairo.
Em adição, hebreus, arabes e cristãos documentam a existência de regras judaicas em certos grupos tribais e clãs que identificam eles próprios como hebreus dispersos por toda a Mauritânia, Senegal, oeste do Sudão, Nigéria e Ghana. 

Entre os notavéis historiadores arabes vamos fazer referencia a existência de Ibn Khaldun, que viveu no século 13, uma autoridade respeitada em história berbere o famoso geografo Al-Idrisi, que nasceu em Ceuta, Espanha no século 12, que escreveu sobre os hebreus negros do oeste do Sudão e o historiador e viajante do século XV Leo Africanus, um mulçumano espanhol que foi educado por uma senhora judia que cuidava das tarefas domesticas de sua familia, da qual é dito que ensinou a ele o hebraico e emigrou com a familia deste para o Marroco no ano de 1492. 

Mais tarde Leo Africanus se converteu ao catolicismo mas permaneceu interessado em comunidades judaicas que ele encontrou por toda a sua viagem pelo oeste da Africa.

Algumas evidências podem ser obtidas de algumas tradições das tribos sobreviventes de alguns grupos étnicos africanos, incluindo evidências com os ancestrais biblicos, nomes de localidades e cerimoniais com afinidades as práticas dos ritos hebraicos. 

Cada vez mais os escritos de vários modernos historiadors da Africa ocidental e anedotas pessoais indicam que a lembrança de uma influente história hebraica no passado continua a sobreviver na Africa Ocidental.
Lembro-me que em minhas tarefas no serviço oficial de estrangeiros no ano de 1960 tive um encontro com o Sr.Bubu Hama o então presidente da Assembléia nacional na Nigéria e um profundo historiador africano. Ele me contou que os Tuareguenses tiveram em tempos medievias uma rainha hebreia e que algumas clãs de hebreus tuaregueses preservaram a aderencia a aquela crença até meados do séc.18 mesmo em face a pressão exercida tanto da parte dos mulçumanos como dos missionários cristãos. Em vários de seus livros Hama sempre cita algumas genealogias de dirigentes hebreus dos tuareguenses e do reino dos Hausa.

Uma história relatando as sobrevevintes raízes hebraicas existentes na Africa ocidental me foi contada por volta de 1976 pelo Ex primeiro ministro de Israel - Shimom Peres -. Ele tinha acabado de retornar de um encontro internacional de socialistas, durante o qual ele tinha se encontrado com o presidente do Senegal - Leopoldo Senor - No decorrer da conversa sobre a possibilidade de normalizar as relações - senegalesas- israelis - Pres. Senor disse que também tinha ancestrais hebreus. Naquela época achamos muita graça, atualmente entretanto existem inumeros registros históricos de pequenos reinos hebreus e grupos tribais assim como os Beni Israel que fazem parte das comunidades dos Wolof e Mandige.

Esses grupos existiram no Senegal desde o inicio da idade média até o séc.18, quando eles foram forçados a se converter ao islamismo. Alguns desses alegam serem descendentes da tribo de Dã, a tradicional tribo dos hebreus que eram artesões do metal e do ouro, dos quais é dito que construiram o "bezerro de ouro".

também os Beta Israel - "Falashas" da Etiopia -
E os LEMBA da Africa do Sul

Na Africa do Sul reside um outro grupo de israelitas conhecido pelo nome de Lemba. Os lembas israelitas dizem que eles partiram de Israel e migraram para a Africa do Sul há 3000 anos atrás. Eles numeram pra mais de 300.000 e declaram que existem ainda mais deles espalhados pela Costa oeste da Africa. Os LEMBA são separados das tribos nativas localizadas na Africa do Sul. Recentemente foi feito um teste genético para comprovar se eles eram mesmo israelitas. Esses testes provaram que os LEMBAS tem a mais alta concentração do fator genético do que todos os outros grupos judeus halakhic. Isso foi relatado num artigo entitulado "decodificando o sacerdote" por Peter Hirschberg e Jane Logan, em Jerusalém (exemplar de 10.05.1999).

Assim como os Beta Israel, a prática do hebrewismo entre os LEMBA não é como no judaismo tradicional; é mais biblico, mas infelizmente eles estão tendo influência dos judeus, os judeus estão tentando converte-los ao judaismo.

Muitos estudiosos já tinham conhecimento da cultura biblica dos hebreus negros e nunca nenhum deles fez as conexões entre as maldições das profecias de Deut. 28 e Levitico 26. entretanto elas encaixam-se perfeitamente. 
Se caso eles conhecessem todos os mistérios sobre os hebreus biblicos tudo ficaria mais claro.

É fato conhecido que desde a época do tráfico negreiro, que todos os povos da costa ocidental da Africa eram hebreus.
Os primeiros cristãos missionários que deixaram Portugal e viajaram para a Africa Ocidental tinham que ter conhecimento de aramaico e hebraico - isto era requerido deles- Aramaico é parente com hebraico. alguns dizem que aramaico era a lingua usada na época de Yahoshua.

Sir John Hawkins um inglês, negociante de escravos, nos anos de 1500 comunicava com seus captivos, que mais tarde tornaram seus escravos, na lingua hebraica. De facto, quando ele chegou a costa oeste da Africa, a primeira coisa que ele disse ao povo foi : SHALOM, shalom é uma palavra hebraica que significa paz.
Os escravagistas sabiam quem de fatos os escravos eram, e esse foi um dos motivos principais pelos quais eles mudaram toda a nossa cultura, crença e história. Seria impossivél eles nos manterem como escravos e nos tratarem desumanamente e ainda obterem altos preços pelas nossas escrituras (escassas) sem ocultarem a nossa verdadeira identidade.
Enquanto os escravos trabalhavam nas plantações (isso desde o nascer até ao por-do-sol) eles costumavam cantar canções atualmente conhecidas como: "NEGROS ESPIRITUAIS".

Nessas canções eles mencionavam:

- Moisés, Jerusalém ( Yahrushalom), Canaã, YAH, e a terra de Israel.

As canções com temas que acabei de mencionar eram cantadas nas plantações por escravos mesmo muito antes dos senhores de escravos introduzi-las em seus livros de canticos do KJV ou outros do cristianismo.
Se caso os escravos não fosse israelitas, como seria possivél terem conhecimento dessas canções com temas biblicos?.
Quando fomos levados para as Américas , os senhores , nem achavam cabivél nos ensinar o cristianismo, nem queriam reconhecer que eramos seres humanos. Após algum periodo de tempo, entãos, os "senhores", decidiram então ensinar ao nosso povo algumas poucas coisas sobre o cristianismo. Mas eles somente ensinavam sobre o "novo testamento" ( assim como alguns cristãos atualmente fazem ). Os escravagistas proibiram a leitura ou a escuta de histórias do " antigo-testamento" assim como por exemplo : "EXODO e OUTRAS".

Mas aquelas "canções de escravos" tinham muito a ver com os temas do "antigo-testamento" como por exemplo: 

"DEIXA MEU POVO IR" (Let my People go")      https://www.youtube.com/watch?v=Uz0sQDhx1rE
"Minha casa é pra lá do rio Jordão" (My home is over Jordan) 
 Go Down Moses (Desce Moises ao Egito) e assim por diante. 

Os escravagistas não ensinaram essas canções aos escravos, na realidade em algumas regiões eram até" proibido por lei" cantar essas "canções dos escravos" assim como também era proibido por lei ensinar o escravo a lêr e a escrever e em especial as escrituras, pois eles temiam que tocassemos em alguma base historica sobre a nossa verdadeira identidade. 
Nosso povo cantava sobre algo que lhes era muito familiar - a história do "antigo-testamento", uma história que se tornou oral entre eles, história passada de uma a outra geração.
Uma das chamadas "canção dos escravos"muito conhecida é KUMBA YAH  e quer dizer: passa por aqui Yah, passa por aqui.

Daí vem a pergunta: Se os escravos não eram hebreus, como é então que eles sabiam sobre Moisés, YAH, Rio Jordão e todos os outros temas biblicos do chamado "A.T." ??!!

Ao ler qualquer bom livro sobre a escravidão nas Américas, você verá que os escravos costumavam chamar seus senhores de MASSA e não Master (mestre). Nos foi dito que os escravos falavam um inglês quebrado e que porisso ao invés de MASTER (MESTRE) eles pronunciavam MASSA isto devido ao dialeto deles, mas essa não é a grande verdade, na verdade MASSA é uma palavra hebraica que significa fardo \opressor (dicionário hebraico Strong, concordancia 4853, 4854).

Aqueles senhores de escravos colocavam fardos pesados sob os escravos, porisso eles os chamavam de MASSA. Essa sim é a grande verdade.
Muitos dos cristãos ficaram surpresos ao saber que esses "selvagens sem deus" aguardavam o Messiah e isto mesmo antes da chegada dos primeiros missionários europeus.

Chegando ao final deste estudo desejo que você tenha sido abençoado e que Yah possa lhe abrir o entendimento para que possas compreender tudo isso que acabamos de apresentar.
Não há em nós motivo algum para torcermos as escrituras e também não somos racistas.Este é apenas o relato da verdadeira história que ficou oculta ao longo dos anos.

Leia, releia, medite bem em tudo o que está escrito, recorra a outras fontes.

A decisão é sua em aceitar a verdade ou continuar vivendo na mentira. tudo que acabamos de apresentar pode ser provado a luz das escrituras. Leia, ore e peça auxilio a YAH para que Ele mesmo ilumine a sua mente e lhe de maiores esclarecimentos.
Shalom.
Textos de Obadiyah Ysrayl     http://www.israyliteheritage.org
tradução com algumas adaptações. feita por Miryahm Ysrayl    miryahmmigdala@gmail.com

6 comentários:

Anônimo disse...

kkkk...Os negros já estão invadindo os territórios indígenas e possuem a ousadia de se elegerem caciques nas tribos,e,agora,estão querendo dizer que são o povo eleito de Deus?Cara,isso não tem fim,né?Há uns anos atrás era o Hitler dizendo que os Arianos eram os mais bonitos,os mais fortes,os mais gostosos e...o povo eleito de Deus...KKKK...Desde que os Israelitas foram abduzidos,ficou um lugar vago para quem é o "favorito do criador"...O trono de Cristo também está vago,quem sabe o Obama não dá uma sentadinha lá,né?Aliás,davi tinha cabelo louro,e era israelita,Esaú era ruivo e era irmão de Israel...Algo não bate aí...KKK...
Quer saber a verdade?A verdade é que o negro foi pilhado por muito tempo que acabou desenvolvendo uma carência genética,daí surge a idéia de que tudo foi criado pelo negro,o primeiro homem era negro,Deus é negro...Enfim,como já havia dito,há alguns anos os germânicos diziam a mesma coisa,e isto pelo fato de estarem sob as asas de Hitler.Agora o negro pensa que pode falar qualquer coisa só pelo fato da República passar a mão na cabeça dele e dar-lhe permissão para se casar com mulheres de cabelos lisos.Sem querer ofender,mas já estou um pouco farto de ver branquelo dizendo que quem construía pirâmide pro Inca era E.T.,e também de neguinho dizer que a mandioca,o milho,o cacau e até a capoeira serem de origem africana...
Sem exageros,por favor...

Anônimo disse...

kkkk...Os negros já estão invadindo os territórios indígenas e possuem a ousadia de se elegerem caciques nas tribos,e,agora,estão querendo dizer que são o povo eleito de Deus?Cara,isso não tem fim,né?Há uns anos atrás era o Hitler dizendo que os Arianos eram os mais bonitos,os mais fortes,os mais gostosos e...o povo eleito de Deus...KKKK...Desde que os Israelitas foram abduzidos,ficou um lugar vago para quem é o "favorito do criador"...O trono de Cristo também está vago,quem sabe o Obama não dá uma sentadinha lá,né?Aliás,davi tinha cabelo louro,e era israelita,Esaú era ruivo e era irmão de Israel...Algo não bate aí...KKK...
Quer saber a verdade?A verdade é que o negro foi pilhado por muito tempo que acabou desenvolvendo uma carência genética,daí surge a idéia de que tudo foi criado pelo negro,o primeiro homem era negro,Deus é negro...Enfim,como já havia dito,há alguns anos os germânicos diziam a mesma coisa,e isto pelo fato de estarem sob as asas de Hitler.Agora o negro pensa que pode falar qualquer coisa só pelo fato da República passar a mão na cabeça dele e dar-lhe permissão para se casar com mulheres de cabelos lisos.Sem querer ofender,mas já estou um pouco farto de ver branquelo dizendo que quem construía pirâmide pro Inca era E.T.,e também de neguinho dizer que a mandioca,o milho,o cacau e até a capoeira serem de origem africana...
Sem exageros,por favor...

passandotempo disse...

kkkk...Os negros já estão invadindo os territórios indígenas e possuem a ousadia de se elegerem caciques nas tribos,e,agora,estão querendo dizer que são o povo eleito de Deus?Cara,isso não tem fim,né?Há uns anos atrás era o Hitler dizendo que os Arianos eram os mais bonitos,os mais fortes,os mais gostosos e...o povo eleito de Deus...KKKK...Desde que os Israelitas foram abduzidos,ficou um lugar vago para quem é o "favorito do criador"...O trono de Cristo também está vago,quem sabe o Obama não dá uma sentadinha lá,né?Aliás,davi tinha cabelo louro,e era israelita,Esaú era ruivo e era irmão de Israel...Algo não bate aí...KKK...
Quer saber a verdade?A verdade é que o negro foi pilhado por muito tempo que acabou desenvolvendo uma carência genética,daí surge a idéia de que tudo foi criado pelo negro,o primeiro homem era negro,Deus é negro...Enfim,como já havia dito,há alguns anos os germânicos diziam a mesma coisa,e isto pelo fato de estarem sob as asas de Hitler.Agora o negro pensa que pode falar qualquer coisa só pelo fato da República passar a mão na cabeça dele e dar-lhe permissão para se casar com mulheres de cabelos lisos.Sem querer ofender,mas já estou um pouco farto de ver branquelo dizendo que quem construía pirâmide pro Inca era E.T.,e também de neguinho dizer que a mandioca,o milho,o cacau e até a capoeira serem de origem africana...
Sem exageros,por favor...

passandotempo disse...

kkkk...Os negros já estão invadindo os territórios indígenas e possuem a ousadia de se elegerem caciques nas tribos,e,agora,estão querendo dizer que são o povo eleito de Deus?Cara,isso não tem fim,né?Há uns anos atrás era o Hitler dizendo que os Arianos eram os mais bonitos,os mais fortes,os mais gostosos e...o povo eleito de Deus...KKKK...Desde que os Israelitas foram abduzidos,ficou um lugar vago para quem é o "favorito do criador"...O trono de Cristo também está vago,quem sabe o Obama não dá uma sentadinha lá,né?Aliás,davi tinha cabelo louro,e era israelita,Esaú era ruivo e era irmão de Israel...Algo não bate aí...KKK...
Quer saber a verdade?A verdade é que o negro foi pilhado por muito tempo que acabou desenvolvendo uma carência genética,daí surge a idéia de que tudo foi criado pelo negro,o primeiro homem era negro,Deus é negro...Enfim,como já havia dito,há alguns anos os germânicos diziam a mesma coisa,e isto pelo fato de estarem sob as asas de Hitler.Agora o negro pensa que pode falar qualquer coisa só pelo fato da República passar a mão na cabeça dele e dar-lhe permissão para se casar com mulheres de cabelos lisos.Sem querer ofender,mas já estou um pouco farto de ver branquelo dizendo que quem construía pirâmide pro Inca era E.T.,e também de neguinho dizer que a mandioca,o milho,o cacau e até a capoeira serem de origem africana...
Sem exageros,por favor...

Sandra Luara disse...

Idiotas, é verdade, pesquisem se são honestos e descobrirão

Sandra Luara disse...

É tudo verdade pesquisem se são honestos